Charlottesville e a América

Não pensava, voltar a falar de Trump, e os movimentos de supremacia branca, mas os acontecimentos em Charlottesville obrigam-me a isso. Neste momento, a América está dividida em duas partes…de um os movimentos de supremacia branca e Trump, do outro aqueles que se opõem ao ódio e ao racismo. Depois das mortes de Charlottesville, Trump, pressionado, veio dizer que se opunha aos neo-nazis e ao Klan…mas na verdade, não convence ninguém, todos sabem que com ele, estes movimentos, ganharam protagonismo e estão cada vez mais fortes. Também é preocupante, a divisão entre a Convenção Baptista do Sul, uma parte opõem-se a Trump, mas outra dá respaldo às suas teses…deveria ser função da igreja, respaldar tudo o que dá dignidade ao ser humano, e não o contrário. É com tristeza, que assisto à morte da democracia na América, ou, se não à sua morte, ao seu desvirtuamento…se eu fosse às forças vivas americanas, procuraria destituir Trump, e livrar-me dele…e com isto, não estou a propor a sua aniquilação física…mas sim, a certificar-me que ele, não voltaria a fazer estragos.

A América está em crise, e tudo por culpa de um louco chamado Donald Trump.

Barbárie e falta de respeito

Quando olho para a geração presente e os seus valores, ou antes, a sua falta de valores, sinto um murro no estômago e pergunto, como pode o ser humano ser tão malévolo…tudo isto a propósito do que aconteceu na fronteira com a Turquia, onde militares turcos obrigaram refugiados sírios a usar lingerie, e depois, não satisfeitos por terem feito chacota deles, recambiaram-nos para a Síria.

Eu repito, esta geração não sabe respeitar a dignidade humana, abusa de pessoas que não se podem defender, que são vulneráveis. Infelizmente, os refugiados, são o elo mais fraco, pessoas que procuram desesperadamente uma saída para a sua situação…fico pensando, o que pensarão, os pastores que conheço e que são contra a entrada de refugiados Sírios na Europa, como reagirão contra um acto tão cobarde. Esta é a Turquia de Erdogan…esse sim, um verdadeiro fundamentalista, não os refugiados que chegam à nossa porta.

Vivemos tempos de barbárie, mau grado, os nossos avanços tecnológicos e a nossa civilização do século XXI…demos um salto tecnológico, mas como seres humanos, valemos muito pouco…mais não digo, para não me repetir e porque não estou falando de politica, mas de Direitos Humanos…tão simples como isso.