Trump e a Questão de Jerusalém

Nesta quarta feira, Donald Trump, declarou que ia mudar a embaixada dos Estados Unidos em Israel, de Telavive para Jerusalém. Ora bem, tenho estado contra Trump em muitas matérias, mas devo dizer, que neste ponto, estou de acordo com ele. Desde a antiguidade, Jerusalém foi sempre a capital do estado de Israel, e por muita vontade, que os palestinianos, tenham vontade de reescrever a história, este facto não se altera. Porém, apoiar a existência do estado de Israel e de Jerusalém como sua capital, não implica, dar o aval a tudo o que Israel faz…devemos reconhecer, que, tal como os movimentos palestinianos, nomeadamente o hamas, não se têm portado bem com Israel, também Israel, não se tem portado bem com os palestinianos…o racismo é evidente em Israel e o exército Israelita tem tido, algumas vezes, comportamentos criminosos. Se se quer chegar a um acordo entre Israelitas e Palestinianos, ambos devem reconhecer as culpas comuns aos dois…ainda que esta busca de paz, seja difícil, pois existem inimizades históricas, que remontam aos tempos bíblicos, entre os dois povos. Tenho de reconhecer, também, que, esta medida dos Estados Unidos, quanto ao facto de mudar a embaixada para Jerusalém, vai trazer um reboliço enorme e tensão entre Israel e os Árabes…tempos difíceis se aproximam.

Advertisements

Motivos de Sobra Para Destituir

Soubemos há cerca de um dia, que Michael Flynn, ex-conselheiro do presidente Trump para segurança nacional, admitiu ter mentido no inquérito do FBI, sobre o envolvimento da Rússia na eleição de Trump. Por seu lado, Trump, declara que não fez nada de ilegal. Por muito menos, presidentes já foram destituídos, na realidade, o que se configura aqui, é um caso de traição à pátria, da parte do staff de Trump…e a suspeita da parte do próprio Trump estar implicado…à mulher de César não basta ser sério, é preciso parecê-lo.  Podemos dizer, que este presidente, é uma fonte de problemas para a América e a sua imagem…o pior presidente jamais eleito. Pode-se dizer, que a América, e a sua democracia, nunca esteve tão decadente e carente de credibilidade. Os melhores valores da América, não são os do presidente Trump e o apoio da comunidade evangélica a este, foi um erro colossal…a senhora Clinton, mesmo com o seu apoio ao aborto e ao casamento gay, era muito mais consensual e evangélica, se assim se pode dizer. Decididamente a América atravessa o seu pior momento…e o pior, é que, o mundo inteiro pode vir a sofrer por causa disso, a nível de ambiente e equilíbrio da paz mundial. Termino, com uma mensagem à América…livrem-se de Trump enquanto podem.

E Agora Brasil?

Noticias que chegam do Brasil, dizem-nos que Jaír Bolsonaro e a extrema direita sobem na preferência dos brasileiros. Podemos dizer, que depois dos anos de governação do PT, o facto de Lula da Silva e a presidente Dilma estarem implicados em casos de corrupção, e o facto do próprio Michel Temer, estar igualmente mergulhado também em escândalos, fazem com que a extrema direita ganhe protagonismo. Junte-se a isto, o facto de a chamada bancada evangélica, muito forte no Brasil, estar também inclinada a apoiar a extrema direita, diga-se de passagem, que é uma coisa que eu não compreendo, nem posso aceitar, que deputados cristãos, que deveriam defender valores mais tolerantes, defendam Bolsonaro e seus apaniguados. Eu entendo, que a desilusão com o sistema democrático brasileiro possa criar estes fenómenos, mas não entendo que o povo evangélico, possa apoiar tais soluções, é contra a natureza do evangelho e de tudo o que ele defende…mesmo que estes mesmos evangélicos defendam posições mais conservadoras, é uma pena que se revejam em tais posições extremas. Não acho que optar pela extrema direita, possa trazer alguma coisa de bom ao Brasil…defendo sim, uma renovação ética, da vida democrática brasileira e permitir, que quem é corrupto, seja preso e não tire dividendos da politica. Já chega de populismos e salvadores da nação…que no fundo, só se salvam a eles mesmos.

Uma Cidade Perto de Nós

Hoje, finalmente, veio a chuva, e ainda que não vá chover tanto como precisaríamos, já é alguma coisa. No entanto, noticias perturbadoras chegam-nos pela Comunicação Social, segundo esta…Madrid está envolta numa nuvem de poluição de níveis alarmantes, as autoridades aconselham não usar o automóvel e usar transportes públicos, apesar disso, os madrilenos, fazem ouvidos moucos, porque o céu está azul e aparentemente a nuvem não se vê…a não ser dos sítios altos. O padrão é o mesmo…céu azul, ausência de chuva e vento. Para o cidadão egoísta da cidade, o tempo pode estar óptimo…o pior é que alguns estão a sofrer de problemas respiratórios, por causa da poluição. Se pensarmos bem, hoje é Madrid e amanhã pode ser Lisboa, a Península Ibérica está em seca extrema, a nascente do Douro está seca e o mesmo se passa com a nascente  do Tejo, somando aos inúmeros problemas, que o mesmo Tejo enfrenta. Já se diz, que o clima português pode vir a ser igual ao de Marrocos e da Tunísia, e há até quem ache, que se deviam plantar sobreiros no Norte de Portugal. Que se danem os fanáticos do desporto automóvel e todos aqueles que se recusam a ver a realidade, o nosso estilo de vida está a matar-nos, lentamente…mas seguramente, não nos podemos permitir a queimar petróleo e carvão, por muito mais tempo…o planeta terra está a aquecer a níveis perigosos. Eu sei que isto pode parecer alarmismo…pois então, alarmem-se enquanto é tempo!

O Turno de Saída dos Ditadores

Noticias chegadas há algumas horas, dizem que Robert Mugabe, aceitou demitir-se da presidência do Zimbabwe. A sua saída, dá-se depois de um golpe dos militares, ainda que estes digam que não foi golpe, e põem fim a uma ditadura de cerca de 37 anos. Diga-se em abono da verdade, que Mugabe começou bem, lutou contra o regime colonialista de Ian Smith, esteve preso por razões politicas e chegou ao poder, por via de eleições democráticas em 1980, tendo posto fim ao colonialismo. Durante muito tempo, o Zimbabwe e o próprio Mugabe, foram tidos como bons exemplos em África, porém, aparentemente, o poder cegou-o e ele transformou-se num ditador. Por isso mesmo, é com agrado, que recebi as noticias do Zimbabwe. Com ou sem a ZANU, partido de Mugabe, é bom que que o Zimbabwe, trilhe o caminho da democracia…e oro para que este golpe, seja mais que uma sucessiva série de ditadores, como é comum acontecer em África. Se aquilo que eu espero, se concretizar…ou seja um regime democrático, abre-se uma nova era para este país africano e podemos festejar.

Uma Opinião

Jean-Claude Junker, afirmou a propósito da Catalunha, que o nacionalismo era um veneno.  Ele pode ter alguma razão, mas a frase é polémica…o nacionalismo pode ser um veneno…mas depende das circunstâncias, se se trata de um nacionalismo xenófobo, é logicamente um veneno, agora se se trata da defesa de uma nação, contra a opressão estrangeira, o nacionalismo é aceitável. É lógico, que para ele é um veneno, um acto de autodeterminação que põem em causa, o status quo da União Europeia e tudo o que ponha em causa a mercado comunitário…é um veneno. No que diz respeito à Catalunha, não sabemos se ela for independente, se põem em causa a União Europeia, mas é evidente, que para Junker, que está a reagir assim, por causa do Brexit.  Esperemos pelos próximos desenvolvimentos e vejamos o que dá isto, é só o que tenho para dizer.

Amigos Inseparáveis

No seu ultimo périplo pela Ásia, Donald Trump encontrou-se com Rodrigo Duterte, ambos trocaram votos de amizade e Duterte até cantou para Trump, uma canção que reza assim: “tu és a luz do meu mundo, a outra metade do meu coração”. Em tom de brincadeira, Duterte afirmou que o fez, por ordem do “comandante em chefe dos EUA”. Na verdade, não é de admirar, que se dêem tão bem…afinal de contas, Trump é um autocrata e Duterte um ditador, ambos têm a mesma noção dos direitos humanos e são conhecidos pela sua dureza. A única diferença é que Trump é presidente de um país democrático e Duterte presidente numa ditadura…embora ambos tenham chegado ao poder, através de eleições. Podemos dizer, que são duas faces de uma mesma moeda. E que mais posso dizer? Ambos representam, o que de pior existe na politica…assim vai o mundo.

A Revolução de Outubro

Este ano passam 100 anos da Revolução Russa, mais precisamente a Revolução de Outubro de 1917, esta revolução deu-se a 25 de Outubro, segundo o calendário Juliano, que no nosso calendário Gregoriano corresponde a 7 de Novembro de 1917. Esta revolução foi conduzida pelos Bolcheviques, que derrubaram o governo provisório de Kerenski, que tinha deposto o Czar Nicolau II, substituindo a monarquia pela republica, a 27 de Fevereiro de 1917. O governo provisório, deposto pelos bolcheviques, era um governo constitucional, composto por liberais e socialistas revolucionários, e quando os bolcheviques, liderados por Lenine o depuseram, o Czar Nicolau II e toda a família dos Romanov, foram executados tendo a terra sido distribuída pelos camponeses, tendo sido abolida a propriedade privada. À revolução de Outubro, seguir-se-ia a paz com a Alemanha e a consequente retirada da Rússia da I guerra mundial…e a guerra civil russa que duraria desde 1918 até ao final de 1922, tendo sido criada posteriormente a URSS.

Estes são os factos históricos, agora, algumas lições devem ser tiradas. A primeira é que a revolução bolchevique foi uma revolução totalitária, que derrubou um governo democraticamente eleito, este facto tem sido realçado pelos detractores da revolução bolchevique, com razão, no entanto não é toda a verdade. A verdade é que a revolução russa, que deu origem à União Soviética, teve também os seus pontos positivos. Enquanto na Rússia nascia o regime comunista, no resto da Europa, era vigente o capitalismo mais selvagem. Quando o regime soviético proclama as 8 horas de trabalho para todos os trabalhadores e a criação de férias pagas para todos eles, a Europa seguiu o exemplo, com medo de uma revolução comunista, nos seus países…foi graças à revolução bolchevique na Rússia, que houve mudanças e os trabalhadores ganharam direitos na Europa…ao invés, foi graças à queda dos regimes comunistas, que as condições de trabalho começaram a piorar, para os trabalhadores na Europa. O regime comunista, podia ser totalitário, mas as pessoas tinham alguns direitos e tinham o básico para a sua alimentação…verdade se diga, com a queda do regime comunista aumentaram as desigualdades sociais e instaurou-se o capitalismo selvagem na Rússia. Bem vistas as coisas, o regime russo actual é uma espécie de democracia musculada, praticamente uma ditadura de pendor nacionalista, a história não se repete, mas toma padrões curiosos.

Musicas e musicas

Ao fazer uma pesquisa e navegação pela internet, encontrei, ou melhor…reencontrei, uma editora de musica, de Memphis, chamada Sun Records. Ouvi algumas musicas…e eis que fui instantaneamente projectado para uma época de ouro, da musica popular. Convêm dizer, que o que se chama hoje, musica pop, não tem nada a ver com a musica popular da época de 50 do século XX. Naquele tempo o som dos artistas de Rock n´Roll e Rhythm and Blues, era genuíno e cru, sem artificialismos, e artistas como Johnny Cash, Elvis Presley, Carl Perkins, Roy Orbison e os artistas negros, incendiaram sucessivas gerações…mas principalmente, a geração dos jovens brancos, de classe média, cheios de hormonas e vontade de mudança. Hoje consegue-se o equivalente, mas com truques publicitários e efeitos de estúdio sofisticados e muitos dólares. A geração de hoje, perdeu a inocência e perdeu o sabor da novidade…naquela época, quando um jovem arranjava uma namorada, fazia amor com ela, fazia corridas loucas nos velhinhos Mustangs e dançava como um louco, fazia-o genuinamente. As próprias drogas daquela época, eram muito mais simples e menos perigosas…speed e erva, e atenção, não estou de modo nenhum fazendo a apologia das drogas, mas constatando um facto…hoje consome-se um numero infinito de substâncias químicas perigosas e a própria erva é adulterada.

Mas tudo isto, vem a propósito da Sun Records, se querem saber um pouco, como sentia e vivia a geração de 50 e 60, escutem os discos antigos e tentem perceber um pouco, adivinhar, o que era ser jovem naquela altura. Hoje também há boa musica, porém algo se perdeu…algo que existia nessa época.

O 31 de Outubro

Hoje é 31 de Outubro, para muitos é motivo de festejos do Halloween, ou o dia das bruxas, mas isso é folclore pagão e não é sobre isso que quero falar-lhes…eu quero falar-lhes e chamar a atenção, para algo muito mais importante…os 500 anos da Reforma Protestante. Faz hoje 500 anos que o monge Martinho Lutero, fixou na porta da Catedral de Witenberga, na Alemanha, as suas 95 teses sobre a Igreja, que se pode resumir a cinco aspectos, Sola Fide (só a fé), Sola Gratia (só a graça), Sola Scriptura (só a escritura), Solis Christus (só Cristo) e Soli Deo Gloria (só a glória de Deus). Martinho Lutero era um monge sincero, que perante a sua consciência culpada e o estudo sistemático da Bíblia, se insurgiu contra a venda de indulgências, procurando reformar a Igreja Católica Romana por dentro, nunca tendo a intenção de se separar dela, mas foi excomungado pelo Papa, só logrando escapar à morte pela fogueira, graças à protecção dos príncipes alemães. O movimento iniciado por ele, e outros reformadores iniciaram, deram origem ao Protestantismo por toda a Europa, principalmente na Europa do Norte e na Suiça. Podem dizer que foi apenas um problema religioso…mas na verdade, teve implicações sociais, históricas e económicas. Pode-se dizer, que graças à Reforma, a burguesia alemã, libertou-se do jugo feudal de Roma e tornou-se uma classe social ascendente e forte. O capitalismo teve a sua génese com a Reforma, e aqui não está em causa se ele é justo ou não, mas as mudanças que trouxe. A Reforma também trouxe o livre pensamento, e se hoje, os ateus e os agnósticos são livres de o serem, deve-se a ela. A ciência, as artes, a filosofia e a religião, só tiveram a ganhar com este movimento. Por isso, para quê perder tempo com festividades pagãs? Leiam a Bíblia e não se esqueçam de que se hoje têm a liberdade de a ler, isso deve-se a Lutero.